Vivo das palavras inconscientes, secretas e invisíveis. Louca por cada detalhe teu. Sou eu... Sou eu, em ti. E não me descreveria melhor.

Início ~ Cartas ~ Sobre mim

domingo, março 11

Serei sempre tua.

Agora aquilo a que muitos chamam de líquidas fontes, que escorrem pelos diamantes, eu dou o nome de algo que já nem eu consigo descrever e controlar. E és tu o mágico que as atormenta, que as ordena para caírem descontroladamente. Mesmo um lenço encharcado de mágoas passadas já forte de compra, mesmo ele, não consegue limpar o que nós deixamos por realizar. Não consegue deixar o meu rosto limpo e quente. Não o sabe fazer pelo simples facto de que nunca foi assim tão duro no que toca à minha pessoa. Nunca doeu tanto, nem nunca tive uma vontade tão grande e agoniante de lutar. Mas tudo está perdido, eu sei. Tudo está perdido desde a hora em que tu e ela falaram mais do que estava programado no destino, desde o minuto em que se aproximaram mais do que era devido. Eu poderia ter feito mais e juntar-me à tua pessoa, também é verdade. Mas não o fiz. Não o fiz por medo e por achar que não seria a forma mais correcta de um futuro bondoso e certo. Não sou nada nem ninguém para agora me meter entre duas almas apaixonadas mas a quilómetros de distância. Mas vou-te dizer algo que talvez há um ano atrás nunca diria a ninguém apesar de saber que não lerás tais palavras. Amem-se. Amem-se como se não houvesse amanhã. E a distância não é nada perante o que sentem um pelo outro. É só mais uma prova que quando estiverem juntos o alívio será tão grande que nem pensarão no momento que estiverem distantes novamente. No que toca a mim, depois de tantas lágrimas, continuarei a lutar por ti. De uma forma diferente mas continuarei. É a tua amizade que tem de permanecer em mim. E ao fazer irei remendar todas as feridas que se abriram a meio do nosso caminho. Quando estiverem bem fechadas irei repetir ao espelho o quanto te amo. Suspirar. E pedir ao mundo que tudo corra bem do meu lado. Que dor cá dentro, que imensa confusão no meu cérebro. A única certeza que me possui é o que corre o meu estômago quando te aproximas. É tão doce por seres tu tão simples, e ao mesmo tempo tão duro pela impossibilidade de me pertenceres. Mais explicitamente, aquilo a que muitos veem como lágrimas dou o nome de apenas água pura cheia de sentimentos que percorreu vastas marés e agora é impossível de controlar. Porque no final das contas serei sempre tua, apesar de nunca te ter pertencido.

6 comentários:

Ana Margarida disse...

É lindo ver que não lhe guardas mágoa. Irá passar tudo, coração. E vais ver, quando menos esperares, irá aparecer alguém que te ame de verdade e que te faça inteiramente feliz <3

cláudiagomes. disse...

perfeito!

Anniee. disse...

muitooo obrigada :) também vou seguir !

mariana disse...

lindo, lindo, lindo. sabes bem <3

letícia santos disse...

adoro completamente o final! muita força.

catarina disse...

está bem linda, sigo este também com muito gosto :)