Vivo das palavras inconscientes, secretas e invisíveis. Louca por cada detalhe teu. Sou eu... Sou eu, em ti. E não me descreveria melhor.

Início ~ Cartas ~ Sobre mim

quinta-feira, abril 5

Essa fraqueza e inutilidade no meu cérebro.

Abri a torneira com água gélida a correr. Limpei as quantas lágrimas que o meu rosto continha. E descrever o que fiz seguidamente seria um erro. Um total engano. Porque olhar-me ao espelho e achar-me uma completa porcaria é loucura. E eu só tenho a noção do que faço depois de acontecer, como é normal em mim. Entrei no quarto e senti o quente ambiente cómodo. Acomodei-me nele. Aliás, era o que deveria ter feito desde o inicio. Sinto-me fraca e com necessidade de repousar nos lençóis dos quais a minha alma já se abriu durante umas longas horas. Ligo tudo, o que nem um pouco a ver tem, à tua pessoa. Já me senti desta forma tantas e tantas vezes. E todas elas pela mesma mísera razão. Se calhar não é assim tão mísera como tentei mentir a mim própria há uns meses atrás. Talvez desde o início nunca tenha sido só um pouco, mas sim tudo e enorme sentimento que me corrói as veias. Eu sinceramente seria melhor pessoa se não tivesse sido tão inútil e fraca nesses mesmos meses. Bastava dez segundos de coragem. Ou até menos, certo? Ou até menos... E em todas as cartas ou simples palavras que te escrevo falo sempre da minha falta de coragem, reparaste bem? Talvez por ter sido tão grande que agora me pesa na consciência e culpo-me. Culpo-me e só a mim deste sofrimento. Dessa fraqueza e inutilidade no meu cérebro. Espero uns cinco minutos rápidos e volto a escrever. E penso no que me vai cá dentro a tempo inteiro. Porque se me desses tal gosto eu dar-te-ia o mundo. O nosso mundo e tudo o resto. Por vezes não te sinto em mim. Essas vezes relembro as tuas palavras e lá volta a tua alma. E sinto arrepios. Arrepio que não são feitos de frio ou medo. São feitos de amor. Do meu amor.

13 comentários:

cláudiagomes. disse...

eu sei que um dia vais recuperar o teu sorriso com ele. Eu sinto-o. E, em relação a fantochada, já nem comento.

joana disse...

que querida, de nada meu doce :)

Can you hear me now ? disse...

Obrigada fofinha :)

Can you hear me now ? disse...

Obrigada fofinha :)

two disse...

mesmo lindo. sigo (:

* disse...

muito lindo. sigo! (:
eu estou aqui caso queiras dar uma visitinha e seguir também http://goldendays2.blogspot.pt

podes dizer-me o nome dessa música? gosto imenso (:

mariana disse...

adoro.

Beatriz Sousa disse...

adoro o que escreves e o blog também, sigo querida *-*

catarina disse...

lindo *

Vânia disse...

adorei, está lindo *
vou seguir-te :)

catarina disse...

oh, obrigada princesa :)

patriciazevedo ♥ disse...

está tão lindo , querida .
como sempre , aliás ..
eu sei que já to disse, mas identifico-me tanto contigo ♥

Ana Margarida disse...

Ele vai devolver-te o teu sorriso em breve. Não percas as esperanças.