Vivo das palavras inconscientes, secretas e invisíveis. Louca por cada detalhe teu. Sou eu... Sou eu, em ti. E não me descreveria melhor.

Início ~ Cartas ~ Sobre mim

domingo, novembro 18

Nem a minha bagunça acabará com o nosso amor

Sei que um dia a bagunça da minha rotina interfere com a tua. Sei que um dia tudo se teimará em separar. No final da noite eu irei dizer-te o quanto te amo e mesmo assim não irei mentir: o meu corpo congelou-se perto do teu. Não irei esconder que o meu amor por ti cresce sempre que a maré me cobre. E não consigo esconder o facto de a minha inspiração ser nula, neste preciso momento. Mesmo que quisesse esconder, notaria-se a uma distância tão grande... Tenho vontade de escrever... Para ti. É tanto para te dizer, contar, explicar. E não existem palavras. Palavras para descrever. Te. 
– não, espera, não te ausentes já... Só queria deixar um carinho. Dizer-te que te amo.

2 comentários:

Ana disse...

Diz-lhe isso tudo

Joo disse...

Já me seguias? Que querida!!! :')